Reino Unido troca de primeiro-ministro, mas mantém ‘gato-oficial’ no cargo

Por SÍLVIA HAIDAR

O que acontecerá com Larry? O destino do “gato oficial” era a verdadeira preocupação dos britânicos nas redes sociais após David Cameron anunciar que deixará o cargo de primeiro-ministro nesta quarta-feira (13), quando Theresa May assumirá o posto.

Para alívio de todos, Larry continua no cargo de “chief mouser”, o caçador de ratos da residência oficial do premiê britânico, na 10 Downing Street, em Londres. “O gato é um funcionário público e não pertence aos Cameron. Ele vai ficar”, disse um porta-voz do governo nesta terça (12).

X

Larry ocupa o posto desde 2011, quando foi adotado por Cameron no abrigo Battersea Dogs and Cats Home e levado para Downing Street. Agora ele viverá com May no mesmo endereço.

O gato Larry na 10 Downing Street, residência oficial do primeiro ministro britânico (Ben Stansall/AFP)
O gato Larry na 10 Downing Street, residência oficial do primeiro ministro britânico (Ben Stansall/AFP)

A relação dos políticos britânicos com gatos é longa. Winston Churchill (1874-1965), ex-primeiro-ministro, doou a propriedade de Chartwell para o governo, mas exigiu que sempre houvesse um gato amarelo chamado Jock na casa. A tradição é mantida até hoje.

Veja abaixo outros gatos que ocuparam o cargo de “chief mouser”

Década de 1920: Rufus of England
Décadas de 1930 e 1940: Munich Mouser
Década de 1970: Wilberforce
De 1989 a 1997: Humphrey